Escolha uma Página

POIS BEM acompanhou movimentação na tarde de hoje no recinto da Câmara Municipal, quando houve entrega no protocolo de pedido do vereador Damasceno Júnior. Ele foi denunciado por embolsar parte do salário de assessores, prática que nega. O acusado resolveu confirmar haver mantido relacionamento íntimo com a ex-colaboradora Talita de Menezes, exonerada, a pedido, dia 25 deste mês. Foi dela a declaração mais contundente nas últimas oitivas,  quando confirmou que devolvia R$ 2.500,00 todo mês ao parlamentar. Na ocasião, os membros da comissão ouviram que os dois não tiveram caso. Damasceno resolveu mudar sua versão, disposto a comprovar com fotos, vídeos e outros materiais atestando circulação da dupla em motel. A Comissão já encerrou a parte de instrução e a tendência é não reabrir. POIS BEM fez sondagens e antecipa que quatro dos cinco vereadores investigadores votam hoje pela cassação de Damasceno. Ela é composta por Olavo Santos, Josué Souza,  Pedro Sampaio, Misael Júnior e Romulo Quintino. Caso fosse levada ao plenário, a punição teria a concordância de todos os parlamentares da Casa.

Compartilhe essa notícia